Aplicação do método Pilates nas escolas

“Primeiro eduque a criança” dizia Joseph Pilates, cujo maior sonho era ver seu método disseminado nas escolas, pois, só assim, haveria a garantia de uma formação física adequada na infância que se estenderia por toda a vida.

A despeito dos longos anos de sua existência, o método Pilates mesmo em seu país de origem, ainda é muito pouco aplicado às crianças e jovens. Iniciativas concretas já existem dentro dos estúdios de Pilates, porém, um programa consistente, aplicado com maior abrangência dentro das escolas ainda continua um sonho, mas, cada vez mais perto de se tornar realidade.

Algumas iniciativas no âmbito privado já existem em nosso país, mas ainda é muito pouco perto do desafio que temos pela frente. É de fundamental importância levar este conhecimento às crianças e jovens, que cada vez mais cedo apresentam os sintomas de uma vida sedentária, desequilibrada, desenvolvendo posturas inadequadas.

É indispensável que mostremos às crianças quais são os princípios que norteiam a biomecânica de seus corpos o mais cedo possível, que elas sejam capazes de incorporar os princípios da respiração completa, da concentração, da consciência corporal, do controle e precisão de movimentos e saibam como devem proceder para desenvolver bons hábitos posturais o mais cedo possível.

Mais do que um programa de exercícios, que por si só não se mostraria muito diferente em benefícios comparado ao que elas já têm disponível na educação física escolar, o método Pilates propõe não somente o QUE fazer, mas  o COMO fazer.

Para isso é indispensável a formação profissional adequada para que esses princípios do método Pilates sejam aplicados de forma condizente com a realidade e as possibilidades de cada criança e de sua faixa etária. Para isso é necessário que mais profissionais da área de Pilates se interessem em levar esse conhecimento às escolas e que profissionais de Educação Física, que já atuam nas escolas, para que busquem informação e formação a respeito do método.

Para que haja uma coerência de informações e formações, além do profissional de educação física que atua na escola, todo o corpo docente deveria ser orientado nos mesmos princípios para que fosse possível orientar a criança, não só durante a pratica do método, mas lembrá-la todo o tempo do esforço consciente em manter a postura e o cuidado com o corpo.

Isso traria benefícios não somente às crianças, mas à escola como um todo, geraria um esforço maior em se adequar o programa de estudos a uma maneira mais ergonômica de agir com crianças e jovens, adequando horários de estudo estático e movimento, modificando-se o mobiliário escolar para ficar mais condizente com a demanda dos pequenos.

Não só o profissional que atua com as crianças deve estar preparado, mas a própria estrutura escolar deve finalmente assumir sua responsabilidade e deixar de provocar muitas vezes esses desequilíbrios nas crianças.

Utopia? Não acredito. Acredito que seja o único meio de ajudarmos as próximas gerações a encontrarem a saúde, a consciência e a felicidade afinal, o que temos feito até hoje parece não estar funcionando muito bem não é? Então já é hora de mudar!

 

Suely Tambalo é educadora física, instrutora do CGPA Pilates.

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s