Aumento de insumos preocupam produtores de FFLV

*Valeska de Oliveira

É consenso a preocupação em todas as regiões com os avanços da Covid-19. Muitas empresas da indústria de Flores, Frutas, Legumes e Verduras, que já tinham retomado as atividades em escritório, estão retornando ao home office. No campo, a produção está normal apesar de alguns problemas com variação climática. A preocupação com a sociedade brasileira e o seu empobrecimento deram um forte alerta ao segmento, pois o consumidor, apesar de buscar produtos que promovam a saudabilidade e aumento de imunidade, reduz o consumo quando o preço chega a um teto de custos.

O varejo precisa traçar estratégias semanais para atender à demanda do cliente em loja e no e-commerce, promovendo produtos de safra e com preços compatíveis. Uma preocupação dos produtores é com o alto custo dos insumos e embalagens, que sofreu aumento médio de 30% do valor na matéria-prima. A escassez de embalagens plásticas, papelão e vidro tem levado como empresas a anteciparem e a rever alternativas. Lembrando que esse problema não afeta só o FFLV, mas diversos segmentos da economia. As alterações estão com dificuldades pelo aumento do câmbio, refletindo no consumo.

Em compensação, as exportações de frutas registraram aumento na demanda de novos mercados e dos tradicionais já atendidos na Europa, principalmente. Um segmento de FFLV que se mantém em alta é o orgânico. Depois da queda de 15% no consumo, no final do ano passado, em janeiro/2021 já apresentou uma forte retomada e a demanda continua crescente. Um novo movimento é a procura do mercado por exportação de frutas orgânicas brasileiras, provavelmente também impulsionada pela alta do dólar, porém ainda faltam produtos. O segmento de flores se reinventou, com a ajuda do varejo e teve uma recuperação parcial com aumento na venda de plantas ornamentais e hortas caseiras, mas o segmento de flores de corte continua sofrendo pelo cancelamento de eventos corporativos, festas e até velórios.

De qualquer forma, não existe céu de brigadeiro. Como já comentado anteriormente, o setor produtivo sofre com aumento de insumos e não tem como repassar os custos. O que vem pela frente ninguém sabe, mas a resiliência da indústria de Frutas, Flores, Legumes e Verduras, em especial no Brasil com vários desafios, vai garantir o abastecimento, à espera de dias melhores para o Planeta.

*Valeska de Oliveira é representante no Brasil da PMA (Associação de Produtores de Marketing), entidade que representa a indústria de flores, frutas, legumes e verduras – www.pma.agr.br.

**Publicado originalmente na Revista Globo Rural

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s